Origem da pimenta


Popularmente há uma crença de que todas as pimentas são iguais, mas a verdade está longe de ser esta. Hoje em dia vêem-se as mais diversas espécies, as mais fantásticas cores e os mais deliciosos sabores de pimenta. Pimenta não é só para arder: pimenta dá sabor e dá cor às preparações, além de ser um alimento nutracêutico. A pimenta é saúde, alegria, melhoria de qualidade de vida, bem estar, mais sabor coração batendo mais forte, enfim, um mundo a ser conhecido, e, é claro, aproveitado.

Existem centenas de terminologias de difícil padronização para a pimenta, em vários idiomas. Cristovão Colombo a chamou de "pimento" em 1493, por achá-la similar à pimenta-da-jamaica. Na América do Sul, exceto no Brasil, algumas pimentas são chamadas de "aji". A origem no nome bem de "axí", do idioma indígena dos Arawaks; posteriormente, os espanhóis mudaram para "ají". Alguns grupos de ameríndios da região dos Andes chamam a pimenta de "uchu" e "huayca". Os mexicanos, de "chile". A origem vem de "chilli" (do Náhuatl, dialeto dos astecas), palavra que era usada para "pimenta" e para compor outros nomes, como Chiltecpín ou Chiltepín, que significa "pimenta-pulga". Já os americanos usam "chile", "chile pepper", "chili" ou "chili pepper". Na Inglaterra usa-se "chile". Em outros países de língua inglesa, "chilli" é o termo mais usado. Exatamente como os astecas chamavam as Capsicum. Para alguns pesquisadores, "chile" se refere à planta ou à vagem da pimenta. "Chili", à tradicional comida mexicada "chili con carne" (pimenta com carne, feijão e temperos), e "chilli", à especiaria em pó.

As pimentas Capsicum foram as primeiras plantas a serem cultivadas e domesticadas nas Américas. Provavelmente nativas da América do Sul e América Central, as espécies já eram cultivadas no México por volta do ano 7.000 a.C. Mas há indícios de que já eram usadas há 8.000 anos como tempero da culinária do Peru. Na era pré-colombiana, eram comuns na culinária dos incas, maias e astecas. Os maias cultivaram mais de trinta variedades de pimentas, e os astecas já desenvolviam uma culinária sofisticada com molhos e receitas picantes que deram origem à moderna culinária mexicana.

Coube aos navegadores espanhóis e portugueses a comercialização das pimentas Capsicum no novo mundo para outros continentes. De Pernambuco, em 1508, os portugueses levaram para a África, Europa e Ásia as pimentas que depois seriam identificadas como Capsicum annum e Capsicum chinese. Com as pimentas já disseminadas pelos três continentes, os botânicos classificaram seus tipos de cinco espécies. As primeiras foram a baccatum e a pubescens. Posteriormente, as annum, chinese e frutescens. Essas três últimas passaram a ser as mais comercializadas. Entre as trinca espécies hoje existentes, somente essas cinco são as mais cultivadas.

Consumidas por 1/4 da população mundial, centenas de variedades de pimentas, com diferentes cores e formatos, suaves ou picantes, frescas, secas, em pasta, flocos ou em pó, tornaram-se ingredientes indispensáveis na culinária de vários países. E foram os escravos, vindos da África, que introduziram as pimentas na culinária brasileira.

Atualmente são consumidas em molhos, temperos, cozidos, pirão, caldos, sopas, massas, saladas, ensopados, carnes, peixes, frutos do mar, conservas, compotas, doces, sorvetes, escabeches, queijos, embutidos, defumados, chutneys, drinks, maioneses, patês e pães.

CLASSIFICAÇÃO E ORIGEM DAS PRINCIPAIS ESPÉCIES
CAPSICUM ANNUM Nativa do Brasil, da Bolívia e do México. A mais importante das espécies e a mais cultivada comercialmente. Por ser facilmente cruzada, há milhares de variedades espalhadas pelo mundo.
CAPSICUM BACATUM Conhecida como "Ají" na América do Sul, é nativa dos Andes (Peru e Bolívia) e cultivada no Brasil, Argentina, na Colômbia, no Equador, no Peru, na Bolívia, na Índia, nos Estados Unidos e na Costa Rica.
CAPSICUM CHINESE Originária da Bacia Amazônica. Exceto a Biquinho, tem as variedades mais ardidas do mundo.
CAPSICUM FRUTESCENS Originária da Bacia Amazônica brasileira. As variedades mais conhecidas dessa espécie são a Tabasco e Malagueta.
CAPSICUM PUBESCENS Originária da região entre o Brasil e a Bolívia e cultivada na Colômbia, no Chile, na América Central e no México. É a mais antiga espécie domesticada das Américas.